91Visualizações |  Like

Estudo revela que as alterações climáticas ainda não são consideradas um problema local

João Cerejeira e Rita Sousa, professores da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho e investigadores do Núcleo de Investigação em Políticas Económicas e Empresariais (NIPE), participaram num estudo multidisciplinar sobre o impacto das alterações climáticas a nível regional e sobre a resposta local a esses problemas. A análise dos inquéritos realizados revela que existe consciência para as alterações climáticas, no entanto enquanto problema global e não um problema de resposta local. Apenas os operadores económicos, nomeadamente os agentes da agricultura, da vinha e do setor do turismo, manifestaram maior preocupação com alguns dos efeitos.
O estudo foi solicitado pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa e descreve o desenvolvimento de um plano de adaptação às alterações climáticas, especificamente adaptado para as necessidades desta comunidade, denominado de Plano Intermunicipal da Adaptação às Alterações Climáticas do Tâmega e Sousa.
O estudo concluiu que existe falta de informação na região sobre instrumentos de recolha das principais variáveis climáticas, seja em termos de pluviosidade, temperatura ou hidrografia, realçando assim o importante papel dos agentes económicos e decisores políticos na manutenção, atualização e divulgação da informação para que os planos de combate aos impactos sejam adequados às necessidades atuais da comunidade. João Cerejeira salienta que, para além das projeções e da análise realizadas ao longo do artigo “On the development of a regional climate change adaptation plan: Integrating model-assisted projections and stakeholders’ perceptions”, publicado na revista científica Science of The Total Environment, “a mensagem que se procurou transmitir é que o conhecimento ao nível local é ideal para a adaptação às alterações climáticas de forma efetiva e para o sucesso do plano em vigor”.

+ info